Vitrine de Serviços

Nossos Mantenedores

Ação Global

Prêmio: Ação Global - 2003
Categoria: Indústria
Coordenação: Departamento de Saúde e Qualidade de Vida
Responsáveis: Vice-presidente recursos humanos
José Luiz P. C. Dias 

Gerente administrativo do Depto. Saúde e Qualidade de Vida
Renato Barreiros 

Assessora do Depto. Saúde e Qualidade de Vida
Elizabeth Amadei Nogueira 

Gerente Médico do Depto. Saúde e Qualidade de Vida
Walter Sanches Aranda 

Auxiliar de enfermagem doDepto. Saúde e Qualidade de Vida
Creuzete Sena 

Assistente do Depto. Saúde e Qualidade de Vida
Angelita Rosa 

Assistente do Depto. Saúde e Qualidade de Vida
Marcio Raimondi 

Chefe Serviço Social Philips Lighting
Anna Thereza Marone 

NOSSA EMPRESA: 

Fundada em 15 de maio de 1891, na cidade holandesa de Eindhoven, a Philips cresceu rapidamente com o passar dos anos, passando de uma empresa familiar a um dos mais poderosos grupos multinacionais do mundo.No Brasil, aonde chegou em 1924, a Philips viveu um momento de grande crescimento a partir da década de 50. 

Hoje, a Philips está se reorientando para enfrentar os desafios deste novo século e se beneficiar dos esforços que estão sendo despendidos na tecnologia digital. A Philips conta com 1500 empregados na grande São Paulo e mais 450 terceiros, trabalhando nas dependências da Empresa. 

CONCEITOS BÁSICOS 

Objetivo 

Contribuir para que os funcionários e seus dependentes busquem encontrar os caminhos para atingir a Qualidade de Vida, refletindo na comunidade em que vivem e otimizar os benefícios oferecidos pela Empresa. 

Visão 

Tornar o conceito de Qualidade de Vida aplicável e permanente na cultura organizacional. 

Missão 

Ter um conjunto ordenado, permanente e dinâmico de ações educativas, sensibilizadoras e conscientizadoras, que visam: 
 

  • Envolver os funcionários e dependentes, terceiros e comunidade;
  • Despertar nas pessoas a possibilidade de mudança em seu estilo de vida;
  • Desenvolver as comunidades onde a Philips atua;
  • Fortalecer a imagem da Philips junto aos seus diversos públicos. 

    Valores 
     
  • Coerência entre o discurso e a prática
  • Respeito aos valores individuais
  • Respeito à diversidade
  • Foco no livre-arbítrio 

    DEFINIÇÕES 

    Qualidade de Vida 

    É a busca do equilíbrio entre o bem-estar físico, psicológico, social e espiritual das pessoas, através de hábitos saudáveis que reflitam no seu desenvolvimento profissional, pessoal e familiar. 

    Visão do Ser Humano 

    É ver o ser humano de forma integral, ou seja, na dimensão completa e em todos os seus papéis dentro da empresa, família e sociedade. 

    Responsabilidade Social 

    É a atitude ética da empresa em todas as suas atividades. Diz respeito às interações da empresa com funcionários, fornecedores, clientes, governo e comunidade. 

    Ética 

    Ética, segundo o Dicionário Aurélio é o estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente a determinada sociedade, seja de modo absoluto. 

    Ética Empresarial não é uma ciência exata e as regras para a solução das questões que se apresentam não seguem métodos universalmente aceitos. Assim, valores e juízos daqueles que tomam as decisões, representam ou participam da empresa, desempenham um papel de importância crítica na tomada de decisões e suas opiniões influenciam a aceitação ou rejeição, pela comunidade, da empresa e suas atividades. 

    Comunidade Interna 

    É o grupo de pessoas atingidas que são os funcionários, terceiros ligados a empresa e seus respectivos dependentes. 

    Comunidade Externa 

    É o grupo de pessoas atingidas, que pertencem as instituições educacionais, associações de bairro, que estão localizadas em regiões em que a empresa atua. 

    HISTÓRICO 

    Saúde e bem-estar de seus funcionários e dependentes sempre foi uma preocupação da Philips do Brasil. Um marco no processo de evolução deste programa ocorreu em 1984, com a implantação de um Plano de Assistência Médica no regime de Auto Gestão, momento este que passamos a praticar o conceito de Saúde Integral, considerando não só a doença, mas sua prevenção e o bem-estar dos participantes. Em 1998, após uma série de estudos, avaliação de práticas de mercado e troca de experiências, concluímos que era o momento de iniciarmos a construção de um Programa de Qualidade de Vida, e encararmos um grande desafio, que seria "estimular e mudar o comportamento das pessoas para hábitos saudáveis de vida e, principalmente, criar uma nova cultura organizacional na empresa". 

    Neste contexto coube à empresa a missão de promover ações, campanhas e atividades que viessem a atingir o grande objetivo de sensibilizar e conscientizar seu público interno, missão esta direcionada ao Departamento de Saúde da empresa, subordinado à Gerência Geral de Recursos Humanos da Organização. Gradativamente, e como mais um resultado positivo do processo, estamos construindo um ambiente mais saudável em todos os aspectos, propiciando uma maior integração entre as pessoas, dentro e fora da Organização, contribuindo para a conquista da valorização e motivação do capital humano. 

    ATIVIDADES DESENVOLVIDAS: 

    1. Custos com Assistência Médica 

    Comentários: No ano de 2002, tivemos um aumento nos custos per-cápita do Plano Médico, de apenas 3%. Considerando não só o nosso histórico de crescimento de custos, mas, e principalmente, se levarmos em consideração a inflação médica do ano de 2002, que variou de 10% a 15% segundo indicadores de mercado, a Philips deixou de gastar com este benefício valores 

    2. Seguro de Vida em Grupo 

    Na nossa Apólice do Seguro de Vida em Grupo, os resultados também foram expressivos neste período, que nos possibilitou negociações de taxas bastante vantajosas para os participantes. 

    Pelo histórico apresentado, qualidade de vida já pertence a nossa cultura organizacional. 

    O GRANDE DESAFIO do Programa +Vida depende de sua continuidade, do fortalecimento de seus conceitos e práticas, torná-lo de abrangência nacional e referência para a América Latina. 

    Concluímos que estamos no caminho certo para consolidação de nosso programa. Mudar comportamentos não é uma tarefa fácil, mas é possível. 

    O papel social da empresa é muito importante, na medida que ela respeita o livre arbítrio de seu público alvo, mas não deixa de ter uma constante ação sensibilizadora, conscientizadora e educativa, sempre atenta a implementar, aperfeiçoar, acrescentar, integrar suas atividades de maneira dinâmica e flexível. 

    Portanto, precisamos considerar que: 

    Cuidar da empresa está próximo a cuidar das pessoas. 

    Os indivíduos passam mais da metade de sua vida dentro do ambiente de trabalho. 

    A qualidade do processo produtivo está cada vez mais dependente da qualidade de vida de quem produz, nas mais diversas atribuições e todas importantes. 

    "O CAPITAL E A TECNOLOGIA SÃO ACESSÍVEIS A QUALQUER EMPRESA (DINHEIRO TEM SEU PREÇO). PESSOAS NÃO TEM PREÇO, SE CONQUISTAM E SÃO O DIFERENCIAL PARA O SUCESSO DAS EMPRESAS".

Parcerias